12 de janeiro de 2017

Relato de parto Amanda Kelle do Canto

Gostaria de compartilhar com vocês o relato do meu parto natural, pois quando estava grávida lia muitos relatos e todos me ajudaram muito. Então vamos lá...

Dia 27 de agosto de 2016 ás 03:30 da madrugada estava dormindo e acordei com uma dor como se fosse dor de barriga, fui ao banheiro e nada (achei que era vontade de fazer 2 kkk) deitei novamente e passados alguns minutos a dor veio novamente, eu estava com 39 semanas e 5 dias, e já não achava muitas posições confortáveis para dormir então, decidi ficar um pouco na sala e passado mais alguns minutos veio mais uma vez a dor. Decidi anotar de quanto em quanto tempo as dores vinham, mas sem acreditar que seriam as famosas contrações, pois por várias vezes ouvi dizer que elas vinham das costas e no meu caso elas vinham bem abaixo da barriga. E fui anotando e as dores eram bem ritmadas exatamente de 10 em 10 minutos. Quando deu umas 04:52 acordei meu esposo e falei com ele para levantar que iríamos para a maternidade, ele assustado disse: mais já vai nascer¿ Eu disse que tudo indicava que sim.

Enquanto ele foi buscar o carro até a casa da minha mãe que fica próximo a nossa casa, liguei para minha mãe e minha irmã para avisar, tomei banho e as contrações foram ficando menos espaçadas e mais doloridas, porém muito suportáveis. Meu esposo e minha mãe chegaram e fomos para a maternidade que ficava uns 30 minutos de distância da nossa casa, porém por ser sábado e pelo horário o trânsito estava bem tranquilo.

Cheguei na maternidade!! E aqui entra um detalhe importante pois iria ganhar com plantonista e queria um parto natural, humanizado e pelo convênio. Fiz meu pré natal com uma médica excelente que me foi indicada por uma amiga e tinha uma visão totalmente natural do parto assim como eu queria. Porém apesar de ser a profissional que me acompanhou durante toda a gestação não pude ($$$$$) ter ela ao meu lado no dia do parto.

Quando chegamos na maternidade não havia nenhuma, isso mesmo nenhuma outra mulher em trabalho de parto, meus olhos brilharam ao ver a recepção vazia, pois na maternidade havia apenas 2 suítes de parto natural, ou seja, se tudo desse certo eu iria ter o parto dos meus sonhos. Fui examinada e estava com 5 centímetros de dilatação, sendo que na minha última consulta quatro dias antes eu estava de 2 para 3 centímetros. O médico me disse então que iria me internar e me perguntou qual tipo de parto eu gostaria de ter. Eu logo respondi: Natural (kkkkkk). Ele me disse que assim que eu chegasse no andar de cima, era para informar a enfermeira de que eu gostaria de ir para a suíte de parto natural e assim eu fiz. Subi com meu esposo enquanto minha mãe, irmã e cunhado ficaram na recepção.

Cheguei na suíte e não acreditei, um misto de sentimentos tomou conta de mim naquele momento, pois o meu medo de não conseguir o parto da forma que desejei era enorme. Passado alguns minutos uma enfermeira (anjo) veio até mim se apresentou e disse que iria me acompanhar durante o trabalho de parto. Depois veio a médica obstetra, me perguntou se eu realmente gostaria de ter parto natural e eu disse que sim. Ela pediu para me examinar era umas 7:10 e no toque eu estava com 6 centímetros e as contrações ficando cada vez mais doloridas.

Durante minha gestação me preparei muito para o parto, li muita coisa, pesquisei, fiz fisioterapia obstétrica o que me ajudou muito durante o trabalho de parto. Gostaria muito de ter uma doula nesse momento porém mais uma vez não pude ($$$$$) contratar uma. Ai entra minha irmã, ela havia me pedido para assistir meu parto, eu disse que sim desde que ela não se desesperasse pois naquele momento eu precisaria de muita tranquilidade. Passado um tempo perguntei a enfermeira se minha irmã poderia subir (no lugar da doula) ela disse que sim. Minha irmã subiu e a banheira foi enchendo, enquanto isso fui para o chuveiro.

O tempo foi passando as contrações aumentando, porém fiquei muito lúcida (não fui para partolândia kkkkk), ás 08:45 a médica me perguntou como estavam ás contrações e eu disse que bem doloridas, ela em um tom meio que irônico me disse que parto natural era assim mesmo (só faltou me oferecer anestesia), fez outro toque e eu estava com 8 centímetros. Fui para a banheira, me alimentei, recebi massagem da minha doula (irmã), caminhei, tomei muita água, vomitei, fiz número dois (kkkkkkk) tudo durante o trabalho de parto.

Quando deu umas 09:50 comecei a sentir muita vontade de fazer força, foi então que percebi que meu pequeno Gabriel não demoraria a chegar. A partir daí a cada contração eu agachava, a vontade de fazer força era imensa. A enfermeira veio e me perguntou como meu estava, eu disse a ela que sentia muita vontade de fazer força, ela então chamou a médica. Entrou no quarto um médico que não me lembro o nome (kkkkkkk) ele pediu para me examinar e eu estava com 10 centímetros, minha bolsa não havia rompido, no toque ela rompeu. Eu estava deitada e ele disse que estava com dilatação total e pediu que eu fizesse força pois meu filho iria nascer. Eu dei um berro (kkkkkk), falei que não queria ganhar ele deitada (li que machuca mais) que queria levantar, minha irmã e meu esposo e as enfermeiras me ajudaram a levantar, sentei no famoso banquinho. Nesse momento olhei ao meu entorno e vi uma movimentação de pessoas, enfermeiras, pediatra, dois médicos. Todos prontos para a chegada do meu pequeno.

Meu esposo ficou sentado atrás de mim, e minha irmã em pé na minha frente, os médicos me orientaram a fazer a força quando a contração viesse e assim eu o fiz. Foram exatas 4 forças, o círculo de fogo e meu Anjo Gabriel nasceu a exatas 10:06 do dia 27 de Agosto de 2016.
Gabriel não foi aspirado, não pingaram nada em seus olhos, foi pesado após umas 2 horas depois do parto, tomou banho só no outro dia, mamou e ficou comigo todo momento depois do parto, até a hora de ir embora. Tive laceração grau 2, tomei 2 pontos. E fomos embora no dia seguinte. Vivi a maior e melhor experiência da minha vida, descobri que sou mais forte do que imaginava e que a mulher pode sim ser protagonista na hora do parto!

4 comentários:

Mayra Meireles disse...

Lindo seu relato Amanda...A maternidade é um acontecimento divino e indescritível...Que Deus abençoe seu anjo Gabriel!!!

Laís Araújo disse...

Como nosso corpo é perfeito né? Achei incrível essa parte: "Quando deu umas 09:50 comecei a sentir muita vontade de fazer força, foi então que percebi que meu pequeno Gabriel não demoraria a chegar."

Parabéns pelo relato. E pelo Gabriel.

Que Deus abençoe.

Metamorfose disse...

Que lindooooooo!!!!
Relato lindo. Que o pequeno Gabriel seja canal de bençãos e muitas aslegrias na família de vocês.

debs disse...

Que relato motivador! Estou em um cenário parecido não posso pagar uma obstetra humanizada e tentarei ter com o plantonista! Mas tenho um agravante, estou esperando dois! Os dois cefálicos acredito em mim! Vou conseguir vencer!"