22 de setembro de 2011

SOFIA FELDMAN RECEBE PRÊMIO DA OMS

Um jardim florido e a fonte enfeitam a vida das gestantes que são acolhidas na casa.
(foto Acervo HSF)
(Foto: acervo HSF)

Casa da Gestante Zilda Arns recebe premiação da Organização Panamericana de Saúde

A Casa da Gestante Zilda Arns do Hospital Sofia Feldman foi premiada entre as três melhores iniciativas no Brasil, no Concurso Nacional de Boas Práticas e de Fotografia em Maternidade Segura, realizado pela Organização Panamericana de Saúde (OPAS/OMS). Onze iniciativas foram inscritas em todo o Brasil. O primeiro lugar de Boas Práticas ficou para o Programa Mãe Curitibana, o segundo para a Comissão Perinatal de Belo Horizonte e o terceiro, para o Hospital Sofia Feldman. A foto “Um Novo Laço”, de autoria da enfermeira obstetra Lilia Coelho Lopes, ganhou menção honrosa. Mostra o pai cortando o cordão umbilical do filho logo após o nascimento e a emoção da mãe. O parto foi realizado no Centro de Parto Normal David Capistrano da Costa Filho.

O concurso buscou por práticas que visem melhorar a saúde da gestante, atendendo ao quinto objetivo da ONU para o milênio e que possam ser multiplicadas em outras instituições e países. A escolha foi feita por um júri composto por profissionais de saúde de diferentes organizações de países, reunido em Washington. Segundo Lauana Rodrigues, da Assessoria de Comunicação da OPAS “a diferença de pontuação entre as três iniciativas foi mínima”. A cerimônia de premiação será realizada em Brasília, na sede da Organização Panamericana de Saúde - OPAS (Setor de Embaixadas Norte – Lote 19), dia 23 de setembro de 2011 e será transmitida via Internet, no https://sas.elluminate.com/m.jnlp?sid=1110&password=M.14479FB4D94A1A03C0F3B5FE334AEF

Modelo para Rede Cegonha

A Casa da Gestante Zilda Arns existe há cinco anos e é modelo para a Rede Cegonha, que preconiza a criação desses espaços de atenção à gestante, puérpera e bebê. É uma unidade vinculada ao Hospital Sofia Feldman e acolhe usuárias do SUS que apresentam algum agravo na gestação. Elas recebem cuidados de uma equipe multiprofissional - obstetras, enfermeiras obstetras, assistentes sociais e psicólogos - em um espaço confortável, com boa alimentação e um jardim florido e aconchegante para se encontrarem com os familiares. Contam, também, com um salão de beleza e terapias integrativas, como a auriculoterapia e escalda-pés com ervas medicinais.

A Casa oferece 20 leitos e atende mães da região metropolitana e do interior de Minas Gerais, a maioria tem entre 19 e 35 anos e idade gestacional abaixo de 37 semanas. Os diagnósticos mais frequentes são trabalho de parto prematuro e pressão arterial alta. A assistência é baseada em evidências científicas e tem como referência os princípios norteadores da Humanização da Assistência, preconizados pela Organização Mundial de Saúde, Ministério da Saúde e referendados pela Secretaria de Estado da Saúde de Minas Gerais. O serviço promove a assistência qualificada para as gestantes de alto risco que necessitam de observação e acompanhamento prolongado. A assistência prestada na instituição promove a melhoria clínica do quadro de saúde e previne fatores que colaboram para o aumento dos índices de mortalidade materna e perinatal, desta forma favorecendo a maternidade segura, que foi tema do concurso.

Um comentário:

Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.