20 de janeiro de 2008

19 DICAS PARA O PARTO NORMAL

19 DICAS PARA EVITAR UMA CESÁREA DESNECESSÁREA
ICAN - International Cesarean Awareness Network

Antes do Parto:
Leia e se informe, freqüente cursos e palestras tanto dentro quanto fora do hospital.
Pesquise e prepare um plano de parto. Discuta este plano de parto com seu médico e mande uma cópia para o hospital ou casa de parto.

** Faça entrevistas com mais de um profissional (N.T.: veja comentário abaixo). Faça algumas perguntas chave e veja como eles respondem. Perceba se adotam uma atitude defensiva ou parecem contentes com seu interesse.

Pergunte ao seu médico se há um limite de tempo pré-estabelecido para o trabalho de parto e para a fase de expulsão. Veja quais são os fatores que na opinião de seu médico interferem com o processo fisiológico do parto.

Visite mais de um hospital ou casa de parto. Fique atenta às diferenças entre eles e pergunte sobre suas taxas de cesárea etc.
Informe-se sobre seus direitos de mulher grávida.

Escolha um(a) acompanhante de parto ou doula. Faça entrevistas com mais de uma. Um artigo recente publicado numa revista médica mostrou que uma doula pode diminuir significativamente os riscos de uma cesárea.

Se seu bebê está sentado (pélvico), procure descobrir exercícios que ajudam o bebê a virar, pergunte a seu médico sobre a versão externa (manobra para fazer o bebê virar) e sobre o parto vaginal de um bebê sentado. Pode ser necessário buscar uma segunda opinião.

Se você já teve uma cesárea, pense seriamente num parto normal desta vez. Segundo o American College of Obstetricians & Gynecologists, VBAC é mais seguro, na maioria dos casos, do que uma segunda cesárea. Até 80% de mulheres com uma cesárea prévia pode dar à luz normalmente.

Durante o trabalho de parto:
Fique em casa o máximo possível. Caminhe e mude de posição quando precisar. Fique na posição que for mais confortável para você.

Continue a comer e beber alimentos leves, especialmente durante o começo do trabalho de parto, para repor as energias.

Se sua bolsa d´água romper, não permita que ninguém faça uma exame vaginal sem indicação médica bem específica. O risco de infecção aumenta a cada exame. Discuta com seu médico como monitorar os sinais de infecção.

Peça que o monitoramento eletrônico fetal seja intermitente, ou que um fetoscópio seja usado. As pesquisas mostram que monitoramento contínuo aumenta o risco de uma cesárea sem melhorar o estado geral do bebê ao nascer.

Evite uma anestesia peridural. As pesquisas mostram que peridurais podem diminuir o ritmo das contrações e causar complicações para mãe e bebê. Se você quiser a anestesia e não conseguir fazer força na hora da expulsão, peça para descansar um pouco, espere o efeito da anestesia passar e aí volte a fazer força.

Não chegue cedo demais ao hospital. Se você ainda estiver bem no começo do seu trabalho de parto quando chegar lá, não aceite ser internada. Em vez disso, dê uma caminhada ou vá para casa descansar.

Descubra os riscos e benefícios de procedimentos de rotina e de emergência antes que se depare com eles. Quando se deparar com qualquer procedimento, procure saber porque ele está sendo usado em seu caso, quais são os riscos a curto e a longo prazo para você e para seu bebê, e quais são as outras opções à sua disposição.

Lembre-se de que nada é preto e branco. Se você tiver dúvidas, confie no seu instinto. Não tenha medo de se colocar. Assuma responsabilidade pelas suas decisões.

** Nota das Amigas do Parto: o artigo foi traduzido do inglês e está adaptado à realidade americana. Particularmente no Brasil, dentro do serviço privado, grande parte dos obstetras têm adotado a cesárea como praxe. Portanto em nossa opinião, a escolha de um bom profissional deveria ser o ponto de partida para se evitar uma cesárea.

ICAN - International Cesarean Awareness Network 1304 Kingsdale Ave, Redondo Beach, CA 90278 (310)542-6400Site: www.ican-online.org

Traduzido por Andrea Almeida Prado para Amigas do PartoPublicado sob licença da ICAN
fonte: amigasdoparto.com.br